quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Ativismo??

Dificil pra mim falar em ativismo porque tenho uma opinião muito radical sobre o assunto. Creio que ativismo já se define por si, é movimento, é algo efetivo e ativo. Não suporto quando pessoas mandam correntes, e-mails, apelos para algo que acontece fora da minha realidade de alcance. Acredito por exemplos em cosias como a Flavia faz que é adotar cães no Centro de Zoonoses e não impossibilidade de adotar mais, encaminhar as fotos-emails para que alguém na sua lista de contatos se sensibilize e pratique a adoção de cães ou gatos. Atitude é a palavra. Porque é uma coisa que acontece no nosso raio de possibilidades, dentro da realidade capixaba e não no Kusbequistão que eu não tenho a menor idéia de onde fica e muito menos como se vive lá.O negocio é tomarmos conta do nosso meio metro quadrado para que cada meio metre quadrado tenha uma vida um pouco melhor, De meio em meio as coisas se consertam, mas o MEU metro quadrado é mais fácil de cuidar , se eu não cuido do meu como eu vou cuidar do meio metro quadrado do Kusbequistão? Vergonhoso.

Aula de .....putz, esqueci o nome da disciplina mas é algo como Estudos Sociais.Assistimos um filme do Greenpeace e eu que fico com um olho no gato e outro no peixe, fiquei observando o comportamento dos meus colegas , além do filme , é claro. O filme obviamente se tratava do aquecimento global e a crise de alimentos.E me questiono: Por que a maioria das pessoas não se dão conta que o nosso metrinho quadrado está indo para vala? Por que é tão difícil deixar de ir 5km da sua casa de carro e exigir do Governo Estadual um transporte coletivo digno de seres vivos? Por que é tão difícil deixar de usar sacola plástica da farmácia para carregar um envelope de Sonrisal? Porque não é problema meu!!É simples! Ouvi cada barbaridade na aula de ontem que me motivou a falar coisas que eu nem sabia que sabia! Coisas como os dados catastróficos do real motivo da crise de alimentos e que estamos numa crise global e não sabemos o que fazer já que nada é problema nosso. Terminei o meu discurso pseudo ativista da forma como meu pai me ensinou, dando exemplos: Você gosta da tua casa né? Se eu chegar lá e jogar lixo e não te ajudar a limpar, você vai me matar, certo? Com o planeta é a mesma coisa! Para Pedagogos há que falar a língua das crianças. As crianças eu sei que entendem, já os pedagogos.........

Eu não sou ativista justamente por saber que sou preguiçosa demais para praticar uma coisa efetiva . Revolta-me quem acha que mandar um e-mail está fazendo a sua parte. Ora, como classe burguesa que somos, nós “achamos” que estamos fazendo nossa parte para limparmos nossa consciência imunda e termos a cara de pau de deitar a cabeça no travesseiro e dizer a celebre frase: eu fiz a minha parte ! O que no fundo quer dizer: Agora já não é mais problema meu.

Eu assumo, não jogo lixo na rua, mas não sou ativista só por isso, tenho preguiça! Eu creio no metro quadrado e não na crise do Kusbequistão, lá deve ter tantas Ionys ou ativistas DE FATO para cuidar do seu metro quadrado.Eu admiro pessoas que têm desprendimento para a luta mas, não quer dizer que tenho que ser uma delas. Nem todo mundo nasceu para ser Anita Garibaldi. Mas pelos deuses repense o que é de fato ser ativista ( como disse a palavra se define por si) antes de abrir a boca, principalmente se for perto de mim.

PS.: Na dúvida ainda? Ativismo segundo o Sr Michaelis: sm. Doutrina prática ou prática de dar ênfase à ação rigorosa.

Um comentário:

Nana Odara disse...

Olá... passando por aqui pra retribuir a visita...
Em breve volto a estar on line e assim poderemos tricotar mais ativamente...rs...
Beijinhos inativos...rs...