terça-feira, 10 de agosto de 2010

Uma historia de 5 minutos em 15 minutos

O texto abaixo foi escrito para o Exercício de Criação 2 proposto pelo blog super simpático Gambiarra Literária


Ela tinha uns 15 anos, por aí. Ele uns 18 e era lindo, tinha uma bunda linda e ela jamais imaginaria o que viria dele em 5 minutos. Ela tinha hora marcada pra chegar em casa, meia noite. A festa estava tão boa que nem viu o tempo passar. Faltavam 10 minutos e ele a chamou para dançar. Dançaram rápido e ela disse que tinha que ir embora. Ele pediu pra ela ficar. Ela não podia. Então ele resolveu leva-la em casa, que ficava alias, há uns 3 quarteirões da festa.Partiram. No caminho , um beco. Ele diminui o passo e ela aflita pra não perder a hora, Poe pressa, se angustia, afinal faltavam 5 minutos para as doze badaladas fatídicas.Ele a encosta no muro de uma casa e diz que vi mostrar que em 5 minutos muita coisa boa pode acontecer. Já pode-se imaginar que a mente dela fervilha entre a fatalidade que seria o seu atraso (aquela boa e velha ladainha paterna!) e a surpresa de ocaramaisbonitodaruaquermedarumbeijo. Ela ficou com a grata surpresa de saber que ele beijava muito bem. Daí descobriu que quando o instinto aflora, 5 minutos podem ser a eternidade mais gotosa da vida. E assim foi. Mãos circulando pelos corpos e os minutos naquele momento estavam totalmente parados, Cronos certamente havia cochilado. Entre risos sacanas, entre o deixa e não deixa, ela descobria sensações novas no seu corpo jovem. O resultado daqueles longos 5 minutos é a certeza de que o corpo precisa de alimento, que o prazer é uma liberdade proporcionada e desfrutada intensamente se você opta por tal e que ninguém é dono de ninguém. E continuaram amigos numa boa.Vale ressaltar que ela, sou eu!

Nenhum comentário: