quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

DANÇAS PASSADAS

Esse texto/poema foi escrito pela minha antiga professora de dança do ventre, a pessoa mais linda que já conheci e que me ajudou muito em pouquissimo tempo. Repasso ele com os devidos créditos, para que as mulheres que eu amo e admiro possam se deleitar com ele, pq o que é bom a gente divide com quem é bom também. No final somos todas sacerdotisas buscando encantar esse mundo azul.

High Priestess by Erika (Thrivis) Harm

 
  
Caríssima Sacerdotisa,
elos de outros tempos atam nossos corações no Templo da sagrada Amizade...
Vê, lá no Altar brilha a chama que não se apaga.......
Afetos da alma revivecendo ora entre povos azuis tuaregs nos caminhos de desertos
ora aprendendo o Tao na velha China.
Nosso olhar não desmente o kohl das árabias
e nossa dança traduz o mistério envolto nos antigos Templos
A Deusa renasce dentro de nós e nos revela a sabedoria antiga do Egito.
Dançamos com a Espada, mas nossa arma é o Amor
Sabemos o ritual de dançar com o fogo....
E nos movemos leves, como a pluma, por entre os nossos vèus coloridos.....
Nossa burca é o mistério desvendado na doçura com que nos cercamos enquanto dançamos todas as danças da vida, em Shiva....
Em nossos pés os simbolismos indianos das henas,
Em nossas almas as marcas dos caminhos palmilhados....
E nossa Dança continua.....dançamos por amor......
Quando dança a bailarina do ventre é sagrada, e por isso, diz-se, enquanto dança, não pode ser tocada.....
O momento da dança é sagrado quando trabalhamos a energia do amor, que espalha desde a suave vibração lúdica até a alegria contagiante, ou mesmo a vibração apaixonante, pulsante, enfeitiçante......
Movemos energia e sabemos o que fazer dela....
Nossa dança é eterna na roda sansara......
Envolvidas no sari, saímos com os olhos á mostra
Neles, o mistério.....
Nossas mãos rendilhadas de pulseiras
e mitenes.....nossas vestes ilusórias........
que nos faz percorrer ainda a eterna dança de Shiva.....

INÊS BOMFIM

De Ines para Denise Bomfim
inspirado em 26-04-2005

Copyright © 2005 - Todos os Direitos Reservados

Um comentário:

Inês disse...

Lindíssimo texto! Tinha quer ser de uma Inês... rs