domingo, 6 de fevereiro de 2011

10 anos depois


Estava eu arrumando a papelada, arquivos impressos pra encadernar, back up de textos colhidos na internet e me dei conta de que já se passaram 10 anos desde a primeira vez que me interessei pelo Sagrado Feminino. Se vcs tiverem paciência, vou escrever um resuminho de como as coisas andaram até 2011 (mas caso falta algum detalhe , vou fazendo outros posts!!).

Primeiro eu conheci o Paganismo de maneira geral e comecei por onde todo mundo começa, a Wicca. Como a literatura sobre esse assunto é vasta foi fácil chegar no Feminino Sagrado e na Deusa. Um amigo me emprestou o livro O Anuário da Grande Mãe e fiquei completamente encantada! Comecei a pensar na menstruação como manifestação sagrada,etc. Ao mesmo tempo me interessei pos dança do ventre e li um texto da Mavésper Cy Cerridwen onde ela falava passo a passo o que se tornou o evento Reconsagração do Ventre. Naquela época ninguem vendia esse momento (acho eu), era somente um texto explicativo e com passo a passo. Era meu sonho fazer esse ritual com outras mulheres.Sonho não realizado porém desde então eu tenho minhas reflexões sobre a menstruação e tudo o que a envolve e sou contra a venda do ritual (mas é opinião minha, respeito quem o faz, cada um tem seus motivos). Na época eu era uma estrela solitária na net, ninguém falava muito no assunto e o material mesmo,vinha de fora, só me restava aquele texto e o livro da Mirella Faur!

Algum tempo depois com uma amiga Junguiana , a Layla , soube de uns livros sobre arquétipos femininos e coisas assim. Fui lá meter o bedelho em um assunto que não dominava e continuo não dominando. Li A Deusa Interior e uns artigos aqui e ali e fui caminhando.Mas eu não consigo ver a junção de mitologia e psicologia, acho mesmo que a psicologia usa a mitologia de maneira rasa. Acredito dentro da minha opinião leiga que uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa : mitologia é mitologia e psicologia é psicologia. São dois estudos maravilhoso ,mas há muita confusão por aí. Arquétipos são maravilhoso mas acho que eles acabam reduzindo a beleza das Deusa. Eu já tomei muito sermão aqui no blog exatamente por essa minha opinião, mas eu vou fazer o que? Aceitar feito um cordeiro? Não! O que eu acho não é regra geral, é apenas o que eu acho e eu tiro o chapéu para quem estuda o arquétipos junguianos, é uma coisa linda de viver, mas para mim não serve como estudo de base para o feminino sagrado, é um instrumento de cura, mas não é a coisa em si.Percebe? Mas, como a gente muda eu acredito que dentro em breve eu estarei voltando minha atenção com mais carinho para A Deusa Interior e Mulheres que Correm com Lobos (esse sim, incrível!!!).

De repente quando me dei conta, aconteceu um BOOM de blogs, sites e eventos relacionados com o feminino sagrado. E como diz o ditado: onde tem grana,tem lama! Uma sucessão de repetecos  até o infinito. Parecia- me ( e desculpem, mas ainda me aprece assim!) que todo mundo escrevia a mesma coisa, liam os mesmos livros e a opinião de uma era endossada pelas demais. Vende-se uma mulher desesperada e perdida que necessita e URGENTE de ajuda! E vende-se a solução, muitas vezes a preços absurdos , apagando-se as pessoas que realmente fazem algo bom e inovador. Atente: a minha discussão aqui não é o se cobrar . A discussão aqui é q EU vejo MUITAS vezes serviços ridículos a venda por valores absurdos para o público alvo que á a mulher desesperada (desesperada aqui pq de tanto falar que ela está deslocada , acaba acredidanto,saca? Bem raso isso pq cada um caso, é um caso!). Mais uma vez eu ressalto: essa é a MINHA opinião e espero eu (Oxalá!) que isso dê um chacoalhão por aí e desperte a criatividade que existe em todas nós! Sim, eu sei que a intenção é o que vale...mas acredito tb que devemos priorizar a criatividade em nossos trabalhos, trocando mais, nos informando maus, nos unindo mais e - por que não?? - discordando mais! Nem só de flores é feito esse caminho, e o debate de hoje dá a luz a nova ideia de amanhã!

Em 2010 a Sabrina Alves me ofereceu o ofício de guardiã do Clã dos Ciclos Sagrados, que eu abracei com devoção. Foi uma oportunidade ímpar na minha vida, que serei eternamente grata! O nosso circulo durou um ano certinho e nesse ano eu pude ver muita coisa acontecer dentro do circulo que refletiu na vida de todas as participantes que pude ter acesso. Eu lamentei profundamente o término dele, entrei em fase de inconformismo, de desespero, mas as coisas cumprem o seu tempo e o seu porque de ser, essa foi minha reflexão de despedida. Aquele terminou para um novo, em algum momento começar, eu sei que essa nova oportunidade vai aparecer, está sendo gerada no ventre da terra e vai brotar. Até lá, eu celebro sozinha, refletindo, pensando, criando e agradecendo tudo que pude proporcionar e a cura que pude atingir dentro
 de mim.A conexão nunca se perde, eu sempre sei das pessoas que lá estiveram, como se fossemos uma grande teia.Mas não é o que somos?


E hoje eu estou aqui, refletindo sobre mil questões que envolvem o feminino e que eu não percebia. Muito dessas novas reflexões são frutos de inúmeras divergências de ideologias e afins com mulheres incrivelmente inteligente e boas, pq é na diversidade que se cresce , que amadurecemos!Eu só tenho a agradecer e há muito que aprender e mudar. Que venham mais 10 anos!

7 comentários:

Iony disse...

PS: gratidão a todas as mulheres que caminharam comigo, em todos as fases e até o fim dos tempos!

Tanakht disse...

Estamos aí, no fim e além.

Nana Odara disse...

10 anos aki tbm...
na verdade é um cadinho mais, mas não sei precisar, então escolhi o momento q pintei a willendorf...
eba!!!
vamos fazer uma festinha?

Rô! - @robertarez disse...

Adorei o relato. E o puxão de orelha para sermos mais criteriosas com os textos por ai! Ahh, queria tanto participar de um círculo de mulheres! rsrs...

Espartana disse...

te amo

Sabrina Alves disse...

Lovv u! Publiquei!

Regiane disse...

Olá!!
Fiquei encantada com suas postagens...Tudo muito lindo!
Quando puder venha me visitar.
Beijos
Regiane