terça-feira, 25 de outubro de 2011

Erínias - Crise

Nós a agarramos

Arrebatamos você

Achatamos você

Somos aquele lugar selvagem e caótico

Aquela aresta pontaguda

O ponto que ativa os seus medos

O ponto de onde não há retorno

O ponto onde tudo pode acontecer

Sempre pedimos a sua morte

Ou a capitulação total

Você não pode passar além de nós

Passar ao largo

Ou sobre nós

Você tem de nos enfrentar e atravessar

Somos o rolo compressor cósmico

O lugar da maior oportunidade

Nós somos a crise



Crise para os orientais é sinônimo de oportundade. Conseguimos ver oportunidades nos momentos em que o turbilhão parece nos levar ao abismo. Conseguimos vencer a vontade muitas vezes de pular para o abismo e ficar por isso mesmo ou enfrentamos o tufão?No livro há o conselho para que estiquemos a mão em busca de ajuda mas creio que a mão é um apoio quem nos ajuda no final somos nós e nosso Eu verdadeiro que insistimos muitas vezes em calar.Dê nome à sua crise, aos fantasmas, identifique de onde vem e o que querem, converse. A crise é psicológica,financeira, afetiva, de saúde do corpo ou espírito? Ajuda é sempre bem vinda quando se quer resolver uma crise.Um crise em nós também pode desencadear uma crise à nossa volta, no ambiente e nas pessoas que nos cercam. E vice versa! Mas nem por isso temos que pedir desculpas por nossa crise e por aquilo que ela proporciona. Não há culpas. Desabafe com quem você ama e que lhe compreende. Admita que algo não está bom. Assuma. Para se resolver algo, precisamos assumir que ele existe. Como a borboleta, visualize-se num casulo e transforme toda a crise nas asas coloridas de uma linda borboleta!






Texto escrito por Iony Ming baseado no Oráculo de Deusa e não baseado na mitologia Clássica.


2 comentários:

Green Womyn disse...

Crise. Crise. Crise. Parece que eu nunca saio dela!

Layla disse...

Querida Iony, passei para visitar sua casa... Deixo umas orquídeas na janela! :)

Um beijo!

Salaam
Layla