sexta-feira, 6 de julho de 2012

A vida,suas voltas e surpresas




Quem me conhece  sabe que eu não queria ser mãe....até eu ficar  grávida.Quem me conhece quando soube que eu estava grávida,ficou com cara de “e agora,José?”. Vou contar a minha historinha sobre o ocorrido.

Eu não queria ser mãe por N motivos.A vida ia seguindo e tudo ia bem.Até que no início desse ano eu comecei a ter TPM.Mas não uma TPM qualquer,uma coisa horrível,monstruosa,que me tonava uma pessoa enlouquecida e descontrolada,literalmente.Pensei em terapia. Mas acabei indo na minha ginecologista que também é minha acupunturista. Foram dias horríveis entre agulhadas,exames e divagações no fundo do poço.Juro que pensei estar louca,patologicamente louca. Aí em Março.....TCHARAM.... minha menstruação,mais certa que o relógio londrino,resolveu se esquecer de mim. Pânico. Aí sim....E agora,José? Eu sou uma pessoa instável,relaxada muitas vezes comigo mesma,que ainda não sabe o que veio fazer nessa birosca de planeta,que fala mais que a boca aguenta e que se indigna com o mundo beirando a violência...eu não sou o tipo certo para ser mãe. Mas parece que naquele Equinócio de Outono só deuses não estavam nem aí para o que eu acho de mim mesma e resolveram que a hora era aquela. E com dois dias de atraso eu já sabia que estava grávida.Com sete dias fiz o tal teste do xixi  que dando positivo teria que ficar rosa,mas que ficou vermelho jogando na minha cara que eu não posso controlar tudo.

E eu chorei feito uma órfã. Ataquei a mim mesma como se eu fosse a pior pessoa do mundo para ser responsável por tal tarefa.Eu não dou conta de mim mesma,como dar conta de outro ser humano? Acho que chorei umas duas horas olhando aquele xixi na fitinha. E o marido me olhando,com cara de piedade me falando que eu ia certamente ser a mãe mais foda do universo. Ele é otimista,eu não.Nunca fui. E os deuses nem se apiedaram do meu desespero. Eles são assim. Liguei pra médica,ela também se assuntou e pediu pra eu ir lá....os tramites normais. Uma semana se passou,eu não chorei mais,mas entrei em estado de vazio.Acho que eu devo ter morrido por uns dias. Sim...é um vazio.Essas carinhas lindas e empolgadas que vemos em filme é tudo balela! Você se sente completamente perdida e fora de si.Comigo foi assim,se não foi com você...Parabéns!!

Marcamos o ultrassom. Chegou o dia do ultrassom.Até então eu só dormia e não queria falar com ninguém. Ultrassom endovaginal não é uma coisa digna!! Mas é assim que é a vida. O coraçãozinho estava batendo,ali havia definitivamente uma vida dentro de mim. E eu chorei,mas aí eu chorei de uma emoção que não sei o nome. O marido me abraçou e não disse nada.Andamos em silencio. Muito tempo passou e eu dormi muitos dias.Sem ânimo para qualquer coisa.Nunca me achei um monstro e nunca exigi de mim uma cara feliz.Só tentei entender isso tudo. Até o dia que decidi como eu quero levar minha gravidez e que tipo de mãe eu quero ser. Eu sou aquilo que eu sou e não quero levar isso tudo como uma fada,idiotizada,infantilizada e irritantemente feliz.Sou eu com um bônus e não outra pessoa. Gravidez não é transplante de cérebro! Olhei pra minha barriga e convidei o meu bebe para vir comigo nessa jornada, eu aprendendo a ser mãe e o bebe sentindo quem eu sou de verdade. Nada de idealização, as coisas como elas são.E é muito bom!!! Porque eu tenho agora, a certeza plena de quem eu sou e que isso é digno!!! Para ser uma boa mãe eu não preciso me idiotizar e nem me amargurar,eu preciso – e devo! – ser EU. É uma sensação de vitória.

Não vou mentir: Sim,eu tenho medo do que virá quando essa pessoinha sair da toca!!! Mas,é tudo tão incerto que é melhor viver um dia após o outro. Tudo que eu vi, vivi,sofri,gritei até aqui,me preparou para algo.Eu só não sabia que parte disso ia ser um filho!!!

3 comentários:

Suzy Kill disse...

Como é bom ler, rir e me emocionar com esse texto.
Passou um filminho agora em minha mente, lembrando de cada uma dessas etapas que você passou.
Você é uma mulher maravilhosa e qualquer um em sã consciência gostaria de ter uma mãe assim. Esse bebê terá uma vida em um lar feliz e inusitado, cercado de pessoas que tem uma visão de mundo completamente diferente das demais. E isso fará toda a diferença.
Acredite minha amiga, a felicidade está contigo e com sua família. E eu fico feliz também por participar dessa loucura toda também.
Um beijão minha querida, a Suzy ama vocês!
[own que lindo!]

Thay disse...

Olá,

Acho que lhe entendo um pouco, apesar de a experiência comigo ter sido diversa.
Mas que há uma mudança profunda em nosso território vital, se há...

Mas espero que conserte, que seja pleno, que seja o que é: maravilhoso. Você vai ver, é maravilhoso ser mãe!

Um abraço. :)

Allure disse...

sinto q somos parecidas... quando eu ficar gravida sera a mesma coisa kkkk