quarta-feira, 19 de setembro de 2012

O Tempo .O Útero. Os Ossos



O processo de gestação é lento ou rápido? Depende do dia,depende do ponto de vista.No inicio os dias passam lentos e 24 horas demoram uns 3 dias para se completarem de tão lenta ser a sensação de viver e estar no mundo. Não tive aquela gravidez dourada como muita gente diz por aí que existe.Comigo e com o bebê tudo correu bem,mas parece que o mundo a minha volta resolveu virar de cabeça para baixo.Meu temperamento não é do tipo que se adapta rápido então entrei num processo de reclusão que me pareceu infinito,além de muito dolorido.

Porém, chega um momento que somos obrigadas a voltar à margem da praia e fazer o que tem que ser feito.Precisamos voltar a viver.Feridas limpas,lágrimas derramadas à exaustão e a percepção de que meses se passaram.E que eu não sou mais a mesma pessoa.E que em mim algumas coisas  morreram para sempre. E foi exatamente nesse ponto que percebi que além de gestar uma criança dentro de mim eu estou gestando uma nova Eu. Não estou dizendo nada que já não tenha sido dito por aí,apenas estou vivendo uma percepção de mim que antes não era assim, dessa maneira.É uma percepção mais profunda,é mais definitiva e é mais aberta. Por fases todas nós passamos,cada qual do seu jeito,mas ouso dizer que em mim brotou uma sensação de completude diferente.Agora eu consigo entender uma calmaria interna ,tantas vezes ouvida de outras bocas,de vivencias alheias;que eu não entendi por inteiro. Há  coisas que só se vive nos ossos.Em mim funcionou com a maternidade de mãos dadas com a dor, com outras mulheres pode funcionar de outra forma.

Andar com vida-morte-vida agora me faz sentido. O tempo é o remédio da vida e nele ninguém manda.Ele chega,senta e decide o tom e a velocidade da vida. Quando mergulhada num mundo escuro,quando dormindo numa caverna uterina não percebi que ali em meio à tantas lágrimas ,eu estava limpando minhas mágoas e rancores.Não todos,não sou santa;mas uma parte que não me servia de nada,aquele peso morto,aquele defunto fedorento que só empata a vida.

É preciso olhar para si e entender o que se vê e aceitar que não existe perfeição,existe vida-morte-vida.Há de se  ter força nos ossos pois, eles são tudo o que sobrevive de nós no final.Os ossos são os que registram o tempo.

Um comentário:

Green Womyn disse...

Linda reflexão!

A partir de agora, nada será como antes, vc vai ver.