sábado, 15 de março de 2014

Urgência!

Refletindo sobre minha atual situação interna,assim do nada me lembrei dessa música da Legião Urbana que não é nem de longe uma banda do meu cotidiano.

Quero me encontrar, mas não sei onde estou

Vem comigo procurar algum lugar mais calmo

Longe dessa confusão e dessa gente que não se respeita

Tenho quase certeza que eu não sou daqui



Dia desses fomos comer um churros numa lojinha muito fofa perto da minha casa.O que era pra ser uma coisa rápida se tornou um papo de quase  duas horas com uma senhora de alma jovem,mais jovem do que a minha, de sorriso alegre e olhos curiosos. Ela já rodou o mundo e acabou voltando pro Brasil ,mais especificamente o ES porque simplesmente seu sonho era abrir uma loja de quitutes.Simples,não? O papo caminhou por trilhas bizarras mas que convergiram para um assunto que nós tínhamos em comum. Oras,os semelhantes se avistam ao longe , hehe ! Num certo momento ela me disse uma coisa que me marcou muito.Disse que pessoas como nós não conseguem viver no meio de pessoas diferentes,de pessoas “cegas” e que simplesmente não somos obrigados. Que é um fardo conviver com quem ainda pensa dentro da caixinha e que se não conseguimos, não conseguimos e pronto!! Que é preferível mil vezes a companhia da solidão saudável do que uma multidão alienada. Aquilo foi como um balde de bálsamo de um remédio que alivia qualquer coisa.


Preciso de oxigênio, preciso ter amigos
Preciso ter dinheiro, preciso de carinho

Acho que te amava, agora acho que te odeio

São tudo pequenas coisas e tudo deve passar.
Legião Urbana - Meninos e Meninas


Eu não preciso me adequar. Eu preciso me encontrar para saber quem sou agora.E sim,é uma necessidade de oxigênio !!




É duro no auge dos meus 37 anos me (re) construir,me (re)identificar. Essa urgência é conflitante com meu ser de Saturno. E cansa esse mimimi.Mas eu preciso escrever,preciso exorcizar,preciso contar ,porque tenho certeza que não a primeira mulher a sentir isso. Muitos vão achar que é doença,que é caso de ir ao médico,de tomar remédios,de dopar sentimentos. Não,não é!!!! É urgência de vida fora da caixinha e a solidão que vem junto a isso.É a urgência da maternidade que pesa e que liberta.A maternidade é uma solidão,já ouvi essa frase de algumas amigas corajosas ao admitir isso. E é sim.E não vamos nos castigar por isso. Foi-se o tempo que éramos obrigadas a sorrir e acenar feitos os pingüins de Madagascar! Aos nos abraçarmos,abraçamos nossos filhos. Ao nos reconstruirmos,damos a chance de nossos filhos terem mães inteiras!! Mas,há que se procurar um jeito,uma identidade,um equilíbrio. E percorrer um caminho interno,profundo,lamacento,recolher os ossos e cantar sobre o esqueleto.




2 comentários:

Mel disse...

Se descontruir e se reconstruir é um processo em que estou já a algum tempo. E como nós, são muitas. Você não está só. :-)

Green Womyn disse...

Eu acho que esse processo é supernormal, Iony, de verdade. Eu acho que essa inquietação é um sinal de que você está VIVA, minha querida!

Beijo grande no seu coração!!!!