segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Das pedras



Até pouco tempo qdo via pessoas q admiro profundamente, não comprarem brigas,discussões,debates ou abraçar causas; eu me indignava por dentro,não entendendo como essas pessoas conseguiam passar pelo mundo sem se indignar ou explodir, afinal  o mundo tá de cabeça pra baixo. Um dia,uma bruxa da velha guarda disse q as vezes as coisas estão no lugar q elas realmente tem de estar,mesmo q a gente não concorde. Naquele momento eu me indignei mais ainda. Como assim as coisas estão no lugar que tem q estar?

Hoje ruminando na minha cabritice,lembrando de alguns ocorridos recentes onde me tacaram pedras ,me julgaram sem saber dos meus valores perante a vida;dizendo q eu tenho q isso e aquilo pq isso e aquilo é O Certo; me lembrei da fala da minha amiga e encaixei na vida da minha cachorra velha: Eu tenho uma cachorra bem velha e 4 cachorros beeem mais novos que ela. Eles latem para qualquer papel que passa voando na rua o dia inteiro,nós nem ligamos.Mas qdo a cachorra velha resolve sair do seu torpor e preguiça e se dá ao trabalho de latir,nós prontamente vamos ver o que é,pois sabemos que é coisa seria.E se ela realmente além de latir,se levantar do seu posto... aí meus amigos,é coisa séria mesmo!!  Penso que ela já cansada,com dores e dominada pela preguiça, deixa o trabalho básico e corriqueiro (mas necessário!!) para geração nova que tem q aprender com o tempo a separar o joio do trigo.

Começo a pensar nas coisas q realmente valem a  pena me fazer desembainhar a espada.E começo a perceber q sim,por mais torto q seja,algumas coisas estão onde deveriam estar,pq sempre há filhotes q precisam aprender a guardar o seu espaço .


Um comentário:

Allan Lucena disse...

Por essas e outras que a experiência é a maior mestra!
Ah fiquei muito feliz com esse post, pois já passei por isso!
Vamos aprendendo e passando o conhecimento adiante, não é!?
Abraços do Elfo! `^^´