sexta-feira, 27 de março de 2015

Entrego,confio,aceito,agradeço



O tempo é o senhor de tudo , minha mãe sempre diz.

Por muito,muito tempo mesmo,desde que li o Milionésimo Circulo,desde que círculos de mulheres não estavam na moda enfim, eu ansiei participar de uma irmandade feminina. Ansiei,desejei,procurei,encontrei,perdi.O tempo passou e eu guardei numa gaveta essa minha vontade.

A vida seguiu.

No final do ano passado entrei para um grupo via Facebook e percebi que essa ideia cresceu muito nos últimos anos que pessoas aqui da minha localidade estavam na mesma busca. Como esperado, essas pessoas se encontram e eu fui junto. Naquela manhã eu sabia que algo bacana estava acontecendo e ao mesmo tempo sabia que algo não estava se encaixando no quadro. Observei, assimilei e guardei,aliás esse é um hábito que tenho praticado muito.Eu estava como uma observadora oculta do quadro,olhando a felicidade alheia,percebendo sintomas,esperanças,medos e não sabia qual daqueles sentimentos eram os meus. Segui. O grupo se tornou forte, mesmo não se desencontrando por motivos diversos .

Agora em março, ano novo celeste,meditei e conclui que o meu tempo de circulo feminino já passou e admitir isso será uma boa maneira de começar o ano. De tanto esperar a coisa  deixou de ser imprescindível na minha vida. De tanto esperar algo in loco,percebi que fortaleci vínculos com mulheres fora daqui e a(s) cura(s) que precisei/preciso obtive. Ok,posso ofertar algo.Sim,posso. Devo? Não. Por que? Porque agora não é o meu momento. Um dia quem sabe? É,um dia quem sabe? Não fecho essa porta.Eu sei que o ciclo vai voltar a esse ponto e eu farei o que precisa ser feito. Até lá,olho para outro ponto do caminho e sigo.Entendi o que senti naquela manhã de encontro: eu não pertenço.

O que me alegra é ver um caminho se tornando real aqui em  solo capixaba.É saber que existem mulheres que estão concretizando algo bonito em cima de seus anseios.É saber que aquele tempo de marasmo espiritosantense , chegou ao fim! E o melhor é me regozijar em ter atingido um nível de desprendimento de uma ideia/sentimento que eu jamais pensei que conseguiria.
E eu me sinto velha. Não a velha destituída  de seu poder no mundo patriarcal.Mas a velha sábia, a que já percorreu muitos caminhos e se senta para saborear seu cachimbo e observar. Isso me tem feito muito bem!!

Entrego,confio,aceito,agradeço. Eu nunca entendia essas 4 palavras juntas.


Agora entendi.Pelo menos nesse episódio da minha existência.

Nenhum comentário: